Hub Plural | blog | comunicação não-violenta no trabalho

blog

Comunicação Não-Violenta no trabalho: o que é e como aplicar?

Durante os anos 60, os Estados Unidos viveram o auge do movimento a favor dos direitos civis e da luta contra a segregação racial. Neste contexto, o psicólogo norte-americano Marshall Rosenberg trabalhava como orientador educacional em instituições de ensino que batalhavam para que a segregação fosse extinta.

 

Uma das principais funções de Rosenberg era ensinar técnicas de comunicação para as pessoas, e a partir disso, ele decidiu criar o método da Comunicação Não-Violenta (CNV). Mas você sabe o que é, na prática, a Comunicação Não-Violenta? Não? Você irá descobrir agora.

 

O que é a Comunicação Não-Violenta?


O objetivo da Comunicação Não-Violenta é propagar uma forma de se comunicar mais respeitosa, atenciosa e empática entre as pessoas. Rosenberg define a técnica como uma abordagem que prioriza o saber falar e ouvir, levando as pessoas a se conectarem consigo e com os outros de forma muito mais verdadeira, fazendo com que o ambiente se torne muito mais propício para o exercício da compaixão.

Comunicação Não Violenta

O método é baseado em técnicas que moldam a forma como cada um se expressa e ouve as outras pessoas. Rosenberg afirma que com a Comunicação Não-Violenta (CNV), nossas respostas tendem a ser menos automáticas e reativas, passando a ser mais conscientes. Ao escutarmos com atenção o que o outro tem a falar, conseguimos analisar melhor a situação, pensar a respeito e dar uma resposta melhor formulada.

 

Os 4 pilares da Comunicação Não-Violenta (CNV)


Para que a técnica seja colocada em prática com eficácia, Rosenberg explica que seus praticantes devem utilizar 4 componentes:

 

Observação


O primeiro passo é observar e analisar o que está acontecendo em determinada situação. Pergunte-se: “será que a mensagem que me foi passada por meio da fala ou da atitude dessa pessoa tem algum ponto positivo?” Após essa reflexão, é importante que você não crie juízo de valor, apenas analise o que você gosta e o que não gosta na forma como o outro se comunica com você.

Comunicação Não-Violenta no trabalho

Sentimento


Neste passo, você precisa entender qual foi o sentimento que a situação te despertou, dando nome a ele. Será que foi mágoa? Ou foi medo? Também tinha raiva envolvida? Aqui é essencial que você saiba separar o que você sente e o que você pensa ou interpreta. Pode até parecer que não, mas são coisas bem diferentes.

 

Necessidades


Após identificar quais foram os sentimentos, você deve entender quais são as necessidades ligadas a eles. Rosenberg explica que quando expressamos nossas necessidades, a possibilidade delas serem atendidas pelo outro torna-se maior.

 

Pedido


Após o passo anterior, você precisa fazer um pedido para a outra pessoa. Procure usar linguagem positiva, clara e objetiva. Evite frases vagas e abstratas.

CNV

Como aplicar na prática?


Quer ver um exemplo prático do uso desses 4 pilares? Leia a mensagem abaixo:

Pedro, quando você solta piadinhas comigo no meio do expediente (observação), eu me sinto muito constrangido e fico muito chateado (sentimento) porque eu preciso sentir que as pessoas me respeitam e se importam comigo aqui (necessidades). Isso é essencial para o meu bem-estar na empresa. Você poderia parar de fazer essas brincadeiras comigo? (pedido).

 

Viu? A Comunicação Não-Violenta deve ser usada para que você se expresse de forma honesta, desenvolvendo sua autocompaixão e estimulando a empatia no outro. Quando esse estímulo é feito de forma efetiva, a linguagem corporal do outro é clara: há um alívio de tensão e o fluxo de palavras diminui. Essa reação pode ser definida como “estar desarmado”.

 Comunicação Não-Violenta

São técnicas muito simples e práticas, mas que se aplicadas da maneira correta, são capazes de transformar completamente a forma como você se comunica com os outros e como os outros se comunicam com você.

 

Quer descobrir qual é o seu tipo de comunicação? A galera do NaPrática.Org desenvolveu um teste bem legal que faz uma análise sobre o modo como nos comunicamos. Para descobrir o seu tipo, clique aqui.

 

Curtiu o conteúdo? Compartilhe com os seus amigos e continue acompanhando nosso blog!

 

veja também: