Você se parabeniza tanto quanto se cobra? - Hub Plural

blog

Você se parabeniza tanto quanto se cobra?

Uma sensação infinita de não estar dando conta de todas as tarefas se mistura a uma cobrança excessiva sobre alta performance, muita produtividade e frustração. Estamos todos, ou quase todos, cansados de estar cansados. E quase nunca satisfeitos com os nossos próprios resultados no trabalho

 

Essa sensação de estafa e auto-cobrança deve ser observada e combatida e é por isso que listamos 3 sinais de que você está se cobrando demais.

No mundo ideal do Hub Plural, toda segunda-feira seria o dia internacional da felicidade. Como pra muita gente isso não acontece, nos perguntamos o que podemos fazer para mudar esse cenário? Pra muita gente o trabalho se tornou gatilho de ansiedade, mas não precisa ser assim.

E no Já Pensasse? da semana, vamos buscar modos de responder propostas indecentes de trabalho. Sabe aquelas parcerias que são boas apenas para um dos lados? Vamos pensar juntos em como sair de uma cilada e fechar apenas acordos/contratos proveitosos para ambas as partes.

Você se parabeniza tanto quanto se cobra?

Uma sensação infinita de não dar conta das tarefas ou de fazê-las sem a qualidade suficiente pode ser um sinal de alerta sobre autossabotagem e cobrança excessiva.

Você é tão legal com você mesmo quanto você é com os outros? Ser disciplinado é diferente de se autossabotar com uma rigidez enorme que não leva a nada e só gera mal estar.

Em tempos difíceis como o que estamos vivendo, os ponteiros precisam ser ajustados em várias esferas da vida. Agora estamos sentindo a alegria de retomar a vida social aos poucos e de afrouxar o cerco sobre si mesmo. Certo? Se você respondeu: errado. Então vem com a gente bater um papo sério.

A autodisciplina é super necessária para progredir, concluir tarefas complicadas e seguir em frente nessa estrada chamada vida. Mas entre a autodisciplina e a autossabotagem pode existir uma linha tênue. Isso porque não se reconhecer, não se parabenizar e se sentir sempre ineficaz ou insuficiente são sinais importantes de que o espelho em que você se olha deve estar embaçado.

3 Sinais de que você se cobra demais

A autocobrança infelizmente é um padrão de comportamento muito presente na vida contemporânea. Há quem chame isso de alta performance, uma demanda gerada por uma sociedade hiperconectada. O sinal de alerta é ligado quando a tal alta performance vira sinônimo de sacrifício. Confira 3 sinais de que você está se cobrando demais. 1 – Se culpar por não estar trabalhando o tempo todo Você não é o seu trabalho. Claro que o trabalho é uma parte importante da vida, mas nós somos seres humanos complexos, com demandas e necessidades múltiplas e a fixação no trabalho é tão somente limitadora para a vida.

 

Além do mais, quem trabalha o tempo todo perde além de experiências enriquecedoras da vida além do trabalho, oportunidades de arejar a mente e acessar lugares de criatividade e inovação que somente o ócio pode permitir. Parece estranho? Então imagina só o seu cérebro como uma sala abarrotada de coisas, coisas novas só conseguem entrar se houver espaço nesta sala, certo? Uma mente cheia e cansada tem mais dificuldade de criar, de resolver problemas, encontrar soluções inesperadas, enfim, de ser criativa.

2 – Sempre pensar que poderia ter feito algo melhor

Você não é perfeito e não está sozinho nessa. Criamos um mundo super editado nas redes sociais que acaba mostrando apenas trechos de nossas vidas. Em contrapartida, também consumimos a vida das outras pessoas apenas em seus trechos editados e cheios de filtros. A realidade é muito mais complicada e difícil para todos nós.

 

Então, lembre-se, você fez o possível e o possível naquele momento é o melhor que você poderia ter feito.

3 – Fazer de tudo para agradar o outro

A medida das nossas vidas e também do trabalho, precisa passar por metas práticas e claras, mas também precisa ter em vista que cada um de nós tem uma trajetória única e um jeito único.

 

Forjar comportamentos e situações para agradar os outros pode ser bastante cansativo e injusto com as suas verdades. Ao fazer isso, você anula as suas convicções, os seus desejos perdem a prioridade e você acaba se distanciando de quem você realmente é.

Porque o trabalho se tornou gatilho de ansiedade para muita gente e como mudar isso

A segunda-feira se anuncia com o anoitecer do domingo e você já começa a ficar triste? Pensa no dia seguinte e não tem nada que te traga uma boa sensação sobre o seu trabalho? Não é por acaso que esses sentimentos são compartilhados por milhares de pessoas.

A falta de sentido, por exemplo, é sem dúvidas um dos maiores problemas enfrentados na relação vida/trabalho. Enquanto o discurso sobre propósito está nos trending topics da vida atual, muita gente ainda não trabalha com uma coisa que realmente ame.

Mas, cá pra nós, aquela famosa frase “trabalhe com o que ama e nunca precisará trabalhar” pode e deve ser repensada. Podemos, por exemplo, inverter o sentido para “trabalhe com o que ama e perca o seu hobby”. rs

 

 

Claro que há casos e casos. Mas nem sempre o trabalho precisa ser um meio de prazer e propósito. Se for, ótimo! Se não for, há formas de melhorar o cenário e transformar o dia a dia, mesmo trabalhando com algo que você não ama, mas que te traz coisas boas.

Além de identificar os porquês você trabalha com aquela determinada coisa, é importante também reconhecer as suas qualidades que se afinam ao seu trabalho. Afinal, não é à toa que você foi escolhido para estar ali.

Um segundo ponto importante é transformar o dia a dia em uma rotina com mais qualidade. Como o seu trabalho pode te dar mais prazer? O local de trabalho pode ajudar a melhorar a rotina? Nós do hub, estamos aqui pra isso!

Pequenas recompensas também podem te ajudar a se sentir mais motivado? Porque não aderir a um método de se recompensar, como o método pomodoro que ensinamos na última news e está disponível no nosso Linkedin.

Sabemos que cada realidade é única e que a relação de cada pessoa com o trabalho passa por particularidades que fazem parte da sua história de vida. Mas existem formas de tentar tornar o dia a dia melhor e todos podemos e devemos buscá-las. Afinal, trabalhar é bom, mas ser feliz é fundamental.